16 de setembro de 2021 | 

O que é planejamento de estoque?

Manter sob controle toda a mercadoria ou matéria-prima estocada pela empresa é o objetivo principal e estratégico do planejamento de estoque. Esse controle evita tanto a falta como o excesso de itens – o que pode fazer as vendas despencarem ou elevar o custo da armazenagem. Isso sem falar no dinheiro parado e na possibilidade de deterioração dos produtos.

O planejamento de estoque colabora para o sucesso comercial da empresa, principalmente no e-commerce ou em operações feitas em conjunto com a loja física. Outro benefício é evitar o cancelamento de pedidos por falta de produtos e a consequente perda de clientes, o que interfere diretamente na imagem da empresa.

Por utilizar como base o histórico de rotatividade de mercadorias, o planejamento de estoque ajuda a identificar o intervalo entre as reposições dos produtos. E para que dê certo, essa atividade precisa de dados concretos.

Para fazer o planejamento de estoque da forma mais precisa, alguns passos são necessários. Acompanhe:

Padronizar o cadastro

Criar um padrão para registro dos itens, com um código e uma descrição para cada um deles, é essencial para o planejamento de estoque. Assim é possível evitar divergências tanto nas informações como nas quantidades. Essa padronização ajuda na localização do produto, colabora com o inventário e, consequentemente, com as vendas.

Registro de movimentação

O registro de entradas e saídas, inclusive das trocas e devoluções, é muito importante para o planejamento de estoque e seu controle.

Essas informações são essenciais para as tomadas de decisão porque identificam o giro de produtos.

Organizar a armazenagem

A ideia é criar uma organização dentro do estoque para que os produtos possam ser encontrados da forma mais ágil possível. Criar endereços específicos para os materiais ou produtos e evitar que eles se misturem é o melhor caminho para quem pensa em planejamento de estoque.

Aplicar métodos que disponham os itens mais vendidos em lugares de fácil acesso ajuda na produtividade. Investir na verticalização com o uso de prateleiras, por exemplo, permite melhor organização em grandes áreas. Isso ajuda muito na hora dos inventários e norteia a busca das mercadorias.

Prever a demanda

Além das estimativas com base no histórico, é possível utilizar a Curva ABC no planejamento de estoque para prever a demanda. Ela consiste na classificação dos itens entre muito e pouco relevantes – considerando o que representam em termos de faturamento e margem – e mostra o que tem mais possibilidade de venda ou de encalhe. Desta forma, é possível dividir os itens em:

Classe A: produtos de alto valor agregado, que geram lucro maior, mas não têm grande volume de saída;

Classe B: são os mais vendidos, geram boa margem de lucro e devem sempre estar disponíveis em estoque;

Classe C: pouco vendidos, não impactam no faturamento e têm lucro baixo. Devem ser mantidos em quantidade suficiente para não deixar de atender uma possível procura.

Contar com fornecedores confiáveis

Para ser totalmente eficiente, o planejamento de estoque precisa contar com fornecedores profissionais que cumpram o prazo de entrega dos produtos. Quem está começando, pretende mudar ou diversificar os fornecedores, deve investir em pesquisa e buscar referências. Catalogar os fornecedores mais confiáveis é um passo importante nesse planejamento.

Acompanhar indicadores

Ferramentas de gestão que fornecem visão dos resultados das atividades dentro da empresa – os chamados indicadores de desempenho ou KPIs (sigla em inglês) – ajudam a saber como está o desempenho dos produtos em estoque e apontam as oportunidades. Eles colaboram também para a identificação de problemas, suas causas e na elaboração de soluções. Entre os principais indicadores, destacam-se o índice de perdas e o percentual de pedidos atendidos.

Fazer inventários periódicos

Quem não sabe o que tem em estoque certamente está perdendo dinheiro. Os inventários, ou a contagem do que existe no estoque, verificam se há coerência entre as informações de controle. O bom planejamento de estoque traz informações alinhadas entre os estoques físico e o contábil. Para a agilidade ser maior, o truque é fazer inventários de uma área por vez, e periodicamente. Assim é possível identificar problemas e resolvê-los rapidamente.

Fazer uso da tecnologia

O investimento em sistemas é importante. Um software de ERP ajuda no controle e planejamento de estoque e automatiza rotinas que passam a ser executadas com mais agilidade. Toda essa organização ajuda a diminuir riscos de erros, compartilhar informações, reduzir custos e gerar relatórios que colaboram com análises e indicadores de desempenho. Logo, a segurança das informações está assegurada.

Este artigo resume as dicas para um planejamento de estoque eficaz, que ajuda na gestão financeira da empresa e na melhora dos resultados. Quer saber mais sobre o assunto? Clique e leia o nosso artigo: O que é acuracidade de estoque?

Conheça a Sanca Galpões. Acesse: www.sancagalpoes.com.br




COMPARTILHE:


←  VOLTAR